Morte

Morte

Quando eu não puder mais tocar a alma humana.
Quando eu não puder mais chorar a sua tristeza e a sua alegria.
Quando eu não sentir mais o toque dos lábios do meu filho em minha face.
Quando o abraço do homem que eu amo não for mais possível.
Quando o desejo de ver-te ó mãe não for mais uma realidade.
Quando o sol não me energizar mais ou a chuva não fizer mais daquele dia uma triste introspecção.
Me leve ao outro plano e faz-se de mim a única coisa que eu jamais saberei, tocarei, sentirei e expressarei agora, pois foge de minha consciência terrestre conhecer.
Juliana Schmitz

Fechar Menu